20/03/2016

Liranja do dia




Mariana bebe copos e aprende palavra bonita nos livros que nunca leu. Mariana esgaratuja seu segredo no canto de uma página aberta aos corações clandestinos. Ora um 'gin' ora 'génio' ora 'genuína... mente', cada sílaba absorvida a tempo, e meticulosamente arrotada, pelos trilhos da felicidade. Mariana escreve-te uma página, dois capítulos mais, impressão digital ao peito dos desalinhados, parágrafo sublinhado em sorriso. Duas páginas menos. Ora um 'gin', palavra bonita: feita num oito, o diabo a nove e adentro a excelência do ser sem querer nem dever. Mariana não fumega pela paz. É cachimbista por defeito, expressão naufragada às tontas e à vontade dos poemas partilhados em troca de um beijo salgado – de génio? Ora a leitura. Bebe mais umas frases e engata a existência pela caligrafia. Mariana escrevinha bonito dos dias que amanhecem promessa amarfanhada com sabor a lima limão, sem rodapés à memória que não a liberdade a páginas tantas! Três mais à consideração. Meticulosamente debruçada sobre uma varanda para o mar, em qualquer canto da imaginação: Mariana – sabe-se nos livros que não 'é bem' uma terceira pessoa no universo, segreda nos lábios do amor que a soma de todos os beijos é igual a um e bebe a felicidade de corpo inteiro, que a vida é canto aberto a quem dá na trilha com pé descalço e um verso no coração. Inspira o teu texto senão levas uma lombada! Genuína a mente embriagada na leitura, pois os copos não se bebem. Capítulo encerrado. Ora.

1 comentário:

Jorge disse...

A Mariana é que a sabe toda...